Feira Agroecológica é lançada em Nova Olinda

July 13, 2015

A feira acontecerá todos os sábados, a partir das seis horas da manhã, em frente ao Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, que fica na Rua Pedro Antônio, 25.

 

Logo cedinho a equipe da Associação Cristã de Base (ACB) já estava de pé. Nova Olinda ainda dormia, quando as primeiras barracas da Feira Agroecológica da cidade estavam sendo montadas, no último sábado (11), de frente a Paróquia de São Sebastião. Implantada através do projeto Jovens Familiares Produzindo no Cariri, patrocinado pela Petrobras, a feira chega ao município para gerar renda aos agricultores e agricultoras envolvidos com o sistema de Produção Agroecológico Integrado e Sustentável (PAIS), e também, com produtores que trabalham com plantação orgânica e de baixo impacto ambiental, além de artesãos e artesãs.

 

Marca da feira

 

Ao todo, 16 feirantes participaram do lançamento da Feira Agroecológica, que além da entrega das barracas, receberam camisas, sacolas reutilizáveis, bonés, banners, faixa de divulgação. Em breve, terão também cartazes e panfletos para divulgar a feira, articulada com as parcerias entre a ACB e a prefeitura de Nova Olinda, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do município, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) e a Paróquia de São Sebastião. Nas barracas, verduras, legumes, frutas, galinhas, mel, artesanato e muitos outros produtos. O início das vendas começou a partir das seis horas da manhã.

O lançamento da Feira Agroecológica recebeu a presença de vários órgãos públicos e privados. Dentre eles, o Serviço Social do Comércio (SESC), a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (FETRAECE), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), além da Secretaria de Agricultura e Secretaria de Obras, de Nova Olinda. Uma dos que prestigiou o evento, Jackson de Sousa Brito, secretário de Agricultura, apontou a importância da feira para a renda do produtor e na qualidade de vida dos clientes. “Um produto limpo, de origem, que a gente pode consumir sem nenhuma dúvida.  É muito importante para a economia do município e do produtor rural, pois atende só com feirantes da nossa cidade”, destacou Jackson.

 O próximo passo é tornar a primeira Feira Agroecológica parte da cultura de compra dos moradores de Nova Olinda. “A cada dia vamos tentar ver se aumenta mais, porque está começando e no início não está todo mundo sabendo, mas vamos ver o que podemos fazer daqui para a frente”. Já Socorro Silva, coordenadora geral da ACB e coordenadora do Jovens Familiares Produzindo no Cariri, ressaltou o trabalho feito diariamente, desde janeiro de 2014, pelo projeto. “A feira vem de um processo, desde capacitações, cursos, reuniões, até chegar neste momento. A gente atua para que o jovem trabalhe dentro de sua família”, apontou Socorro.

 

Muitos dos agricultores e agricultoras estavam ali, em sua primeira oportunidade como feirantes. Dos 16, apenas dois já haviam trabalhado comercializando seus produtos desta forma. O mais comum é venderem na sua própria comunidade. A experiência daquela manhã foi levada para a reunião de avaliação que aconteceu após a Feira Agroecológica. Segundo José Valdo, morador do Catolé, é importante não somente o crescimento da renda, mas aumentar a cultura da produção orgânica e tornar a feira um local de aprendizado e convívio. “Além dos nossos feirantes, os fregueses são uma família”, ressalta o feirante.

Reunião de avaliação da primeira feira

 

Durante a avaliação, Ery Cláudio, técnico de campo do projeto, demonstrou a satisfação de ver surgir a primeira feira no município em que ele atua. “Foi uma experiência boa. É gratificante ver o público que a gente trabalha está se organizando, comercializando”. Porém, Ery alertou sobre os cuidados que os agricultores devem ter para manter a Feira Agroecológica, de Nova Olinda, que só no lançamento, movimentou mais de 1.200 reais, durante aquela manhã. “É importante saberem que tem dia que as vendas são boas ou ruins. Depende do interesse, também. É importante trazer seu produto, produzir novas culturas, ver a demanda dos clientes”, completou Ery,

 

A criação da feira faz parte de um processo de atuação do projeto nos quatro municípios em que trabalha. “Estes agricultores e agricultoras estão preparados. As feiras estão aí, mas a continuidade depende deles e de nossos parceiros”, afirma Socorro Silva. Na última sexta-feira, a ACB já havia relançado a Feira Agroecológica de Crato, trazendo material de divulgação, novas lonas para as barracas, sacolas reutilizáveis, camisas e bonés para os feirantes. E agora, Santana do Cariri, também receberá sua feira, no próximo sábado, (18), às seis horas. E no mês de agosto, é a vez dos agricultores e agricultoras de Milagres terem seu espaço para comercializarem seus produtos.

Please reload

Destaques

Intercâmbio entre instituições proporciona troca de saberes

October 1, 2019

1/10
Please reload

Notícias Recentes

June 7, 2019

Please reload

Arquivos