Mosaico Chapada do Araripe

November 27, 2017

 

A Chapada do Araripe conhecida por suas belezas naturais e diversidade cultural, divisa entre três estados Ceará, Pernambuco e Piauí. Esta microrregião possuí algumas Unidades de Conservação (UC), estas são geridas por órgãos públicos de âmbito federal (07 UC), estadual (06 UC) e municipal (08 UC).

 

O que seria uma Unidade de Conservação?

Segundo o site do MMA (Ministério do Meio Ambiente)

“As unidades de conservação (UC) são espaços territoriais, incluindo seus recursos ambientais, com características naturais relevantes, que têm a função de assegurar a representatividade de amostras significativas e ecologicamente viáveis das diferentes populações, habitats e ecossistemas do território nacional e das águas jurisdicionais, preservando o patrimônio biológico existente.”

 

Disponível em: http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/unidades-de-conservacao/o-que-sao

 

Dentro deste território gestores das UCs formaram um mosaico de unidades de conservação o Mosaico Chapada do Araripe, seu reconhecimento se dá através dos Ministério do Meio Ambiente (MMA). O mosaico parte de um modelo de gestão integrado, com a participação e envolvimento de gestores de UC e população local. O entendimento de formação do mosaico e seu reconhecimento vem do conjunto de UC próximas, justapostas ou sobrepostas, pertencentes a diferentes esferas de governo ou não.

 

Entre os dias 21 e 25/11 o Mosaico Chapada do Araripe realiza seu II Seminário de Educação Ambiental das Unidades de Conservação da Chapada do Araripe e I Seminário de Gestão de Unidades de Conservação do Território do Geopark Araripe. A realização do evento foi feita pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio, Governo do Estado do Ceará | Secretaria de Meio Ambiente, Parque Estadual Sítio Fundão, Geopark Araripe, Universidade Regional do Cariri – URCA, Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos – AQUASIS.

 

O evento foi sediado no auditório do Geopark Araripe, na cidade do Crato. Contanto com a participação de 70 pessoas, dos três estados que compõem o mosaico, dentre os participes representantes do poder público, associações, sindicatos, universidades, sociedade civil, ongs e conselheiros de meio ambiente e de unidades de conservação.

 

A orientadora de célula do Parque Estadual Sítio Fundão fala da importância do reconhecimento do Mosaico da Chapada do Araripe “desde 2012 que nós SEMA, ICMbio, Aquasis e outras instituições discutem a possibilidade do reconhecimento do Mosaico da Chapada do Araripe, junto ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). Para tanto é preciso bem mais do que só um papel com o reconhecimento. É preciso que todas as Unidades de Conservação que estão aqui justapostas, próximas ou até mesmo sobrepostas como é alguns casos que acontecem como os geossítios no território do Geopark Araripe. Se faz necessário que estas unidades desenvolvam atividades conjuntas de educação ambiental que visam a proteção do meio ambiente como todo, a fiscalização, dentre outras” afirma Rosemary Feitosa, orientadora de célula do Parque Estadual Sítio Fundão.

 

Ainda dobre o evento Rosemary fala do que foi abordado no evento “a pauta principal desse evento é trabalhar a gestão das unidades de conservação que estão sobrepostas tanto no território da APA Aripe que é uma unidade de conservação Federal como aos Geossítios do Geopark Araripe e falar da questão da educação ambiental que é por meio dela que a gente vai conseguir realmente ter um resultado positivo na conservação do meio ambiente. Além disso capacitar os conselheiros/as dos conselhos do território. Como resultado deste evento teremos um plano de ação para 2018 e 2019”, diz Rosemary Feitosa, orientadora de célula do Parque Estadual Sítio Fundão.

 

 

Resgate dos últimos Seminários:

 

“Trabalhando no sentido para o reconhecimento, em 2015 realizamos o I Seminário de Educação Ambiental com a participação dos conselheiros/as das unidades de conservação e também de seus gestores. Durante o evento fizemos uma plano de ação, em 2016 fizemos um seminário também voltado para reavaliar este plano de ação feito em 2015. Foi visto que tivemos um pensamento ótimo, porém audacioso colocamos algumas metas que não foram atingidas e por isso tivemos que reavaliar. Na ânsia pelo reconhecimento acabamos colocando ações que não foram possíveis executar e uma delas foi a realização do segundo seminário que agora estamos realizando”, relata Rosemary Feitosa, orientadora de célula do Parque Estadual Sítio Fundão.

 

 

A ACB possuí assento em alguns dos conselhos no território da Chapada do Araripe:

FLONA

APA

Conselho do Meio Ambiente - Crato

Conselho - Sitio Pares Fundão

 

Fotos do evento:

 

 

Please reload

Destaques

Intercâmbio entre instituições proporciona troca de saberes

October 1, 2019

1/10
Please reload

Notícias Recentes

June 7, 2019

December 7, 2018

December 5, 2018

Please reload

Arquivos