TERREIRO REÚNE CULTURA E TECNOLOGIAS SOCIAIS.

Texto e fotos por Nelzilane Oliveira

Revisado por Nágila Batista


Na última terça-feira, dia 10, numa manhã de sol entre nuvens com temperatura agradável a equipe da ACB participou de uma visita no terreiro de Maria de Tiê mestra da cultura e seu companheiro seu Tiê. No município de Porteiras na comunidade Sítio Souza comunidade remanescente quilombola. A recepção do casal é sempre de muita alegria e muito afetuosa. Maria de Tiê já nos convida para tomar café no museu que ela está fazendo. “Aqui nesse espaço quero contar a história do quilombo. Da nossa cultura e da nossa luta!”, diz ela.

No terreiro de casa a ACB instalou algumas tecnologias socias que nos possibilitou uma aproximação com a comunidade e com a gestão municipal. São três tecnologias sociais, o Bioágua Sertanejo e a Cisterna Chapéu do Padre Cícero (FBB/BNDES), o Biodigestor (Itaú).

Para a visita convidamos a Secretária de Agricultura e Meio Ambiente que convidou algumas lideranças de outras comunidades, técnicos da secretaria, e algumas agricultoras e agricultores. Tomamos cuidado com a quantidade de pessoas para não gerarmos aglomeração.

"Nós do município parabenizamos a ACB pelo belo trabalho, estamos aqui hoje para celebrar e para mostrar para mais pessoas a importância desse trabalho e fortalecermos nossa parceira com essa intuição tão importante", diz Edijane Roseno - Secretária de Agricultora e Meio Ambiente.


Nas falas cada uma e cada um pode expressar a satisfação de poder conhecer de perto as tecnologias socias e já indicam suas comunidades para projetos futuros. “Na minha comunidade tenho certeza que as famílias se interessariam demais em receber um benefício desses”, diz o presidente da comunidade Logradouro.


Parte do Comitê Gestor da ACB esteve presente, Ery Claudio – Diretor Administrativo e Presidente Interino, Daniele Siebra – Diretora de Projetos e captação de recursos, Nelzilane Oliveira – Diretora de Comunicação. Também contamos com a participação de Nágila Batista, associada da ACB e técnica em agropecuária que acompanhou a comunidade no projeto Mulheres Quilombolas e Seus Quintais Produtivos.



“Só acreditei que o biogás funcionava quando vi o gás saindo da mangueira e quando vi a instalação no meu fogão. É uma maravilha, quem tiver a oportunidade de receber um pegue com as duas mãos e receba que é uma tecnologia muito boa. Eu só tenho a agradecer pelo trabalho aqui na minha comunidade, o pessoal da ACB é bom construímos uma boa parceria e amizades” concluí Maria de Tiê.


Confira mais fotos:




Destaques
Notícias Recentes
Arquivos